Talassoterapia e a cura pela argila

O que é talassoterapia e quais argilas utilizar nessa terapia que se usa desde o século IX a.C.

Talassoterapia e a cura pela argila

A argila é usada como terapia desde os tempos de Homero (século IX a.C) e de Hipócrates, o pai da Medicina (460 a 337 a.C). Na Bíblia, também consta que Jesus utilizou o barro para curar um cego de nascença. Já na Idade Contemporânea, um médico berlinense chamado Julius Stumpf observou em um cadáver enterrado havia mais de três anos que o corpo e as vestimentas estavam perfeitamente conservados. Com isso, ele constatou que a terra argilosa, onde a pessoa havia sido enterrada, possuía elementos refratários às bactérias e à decomposição, e, portanto, próprios para o tratamento de feridas.

Tal teoria foi comprovada efetivamente em 1886, no tratamento de um grande abscesso na perna de um paciente. Como o indivíduo se recusava a ter a perna amputada, os médicos decidiram aplicar, segundo a teoria do Dr. Stumpf, a argila diretamente sobre a inflamação. Resultado: em pouco tempo, o odor fétido desapareceu.

Atualmente utilizada em todo o mundo, principalmente nos países da América Latina e Europa, a argila pode ser apresentada em diversas cores e para diferentes funções.

Vamos a elas:

  • Argila cinza: indicada para pele oleosa ou com manchas, combate espinhas, cravos e é excelente esfoliante. É um antioxidante natural, retarda o envelhecimento precoce da pele e rejuvenescedor dos tecidos.
  • Argila marrom: rara de encontrar devido a sua pureza, ativa a circulação e rejuvenesce pele e tecidos.
  • Argila preta: desintoxica a pele oleosa, tem função anti-inflamatória, antiartrose, absorvente, antiestresse e revitalizadora do couro cabeludo.
  • Argila rosa: devolve a luminosidade, hidrata a pele, aumenta a circulação, auxilia a eliminar celulite e gordura localizada. Por seu efeito tensor, ajuda no tratamento de flacidez tissular.
  • Argila amarela: forma colágeno na pele devido à composição de silício. É hidratante e também atua na flacidez cutânea.
  • Argila vermelha: tem poder hidratante, previne envelhecimento da pele, reduz medidas e peso, ativa circulação, e é antiestresse.
  • Argila verde: indicada para peles e cabelos oleosos e com acne, tem função adstringente, tonificante e estimulante. Além de combater edemas, é secativa, bactericida, analgésica, cicatrizante, esfoliante e desintoxicante.
  • Argila branca: é a mais leve de todas, e ainda clareia a pele, absorve a oleosidade sem desidratar, suaviza e cicatriza.

Dicas para uso doméstico

  • A argila deve ter uma boa origem, para que preserve todos esses benefícios. Precisa ainda ser pura, independentemente de sua coloração – a verde é bem maleável e fácil de ser trabalhada.
  • O material deve ser colocado em embalagens de modo que o produto não tenha contato com ferro e outros metais – nem mesmo com o ar, para não enferrujar.
  • Antes de usar, misture, com utensílios de madeira ou vidro, água mineral e mexa até obter uma massa homogênea. Evite metais.
  • Aplicação da argila fria só é colocada se o corpo estiver quente. Se a parte do corpo estiver gelada é preciso colocar a massa morna. Para isso, basta colocá-la no sol ou aquecer em banho-maria.

CONTEÚDO VIP

Coloque o seu email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!

Compartilhe

   
   
   
   

Veja os comentários deste post

Scroll to Top